A adolescência é ou não uma representação do que foi a infância ? O que a criança faz hoje, necessariamente vai influenciar diretamente no adolescente que será no futuro ?

Adolescência volta e meia é assunto na conversa com pais de crianças, e raramente é um assunto que traz tranquilidade. Ao chegar no consultório com uma demanda, os pais logo trazem a preocupação de esta demanda gerar consequências anos mais tarde quando seu filho virar um terrível adolescente.

Se preocupar com o futuro é algo importante ? SIM. Porém, não para se resolver eventos que ainda não ocorreram.

⁣Tentar prevenir problemas futuros é um dos maiores desafios da atualidade, mas levar essa preocupação ao extremo pode dificultar e muito o relacionamento com seu filho. E para que isso não aconteça, vou tentar descrever aqui alguns caminhos que não devem ser tomados, e o porque de evitá-los. 

O erro de punir na infância pensando na adolescência

Alguns pais se preocupam tanto com a adolescência que punem comportamentos da infância baseados numa suposta influência dos mesmos na adolescência. ⁣E é aqui que reside o principal erro. Quer ver alguns exemplos ?

O filho se atrasa para chegar em casa pois ficou brincando depois da aula. Logo eu preciso puni-lo pois quando ele for adolescente ele vai fazer o mesmo com uma festa. 

A filha come um pacote de bolacha sozinha. Logo eu preciso puni-la pois vai virar uma adolescente compulsiva. ⁣

Na ânsia de prevenir um problema que ainda não aconteceu, os pais acabam por deixar de lado um comportamento que precisam corrigir no presente. Estou dizendo que não se deve intervir em comportamentos inadequados ? NÃO. Estou dizendo que se a sua punição for pautada num medo futuro, você não conseguirá identificar o problema no presente e muito menos ensinar algo.

Cuidado pois você pode estar extinguindo fantasmas que não existem, enquanto a realidade atual está escancarada na sua frente.

⁣A adolescência não é esse monstro que pintam

Todo o estereótipo criado sobre a adolescência influencia diretamente no medo dos pais. E todos sabemos que medo costuma ser um catalisador para comportamentos impulsivos.

Alguns pais sentem calafrios só de imaginar o seu filho nessa fase. O problema é que a adolescência é algo bem diferente do que se mostra por aí nos programas de televisão e nos filmes. O adolescente problemático, rebelde e incompreensível mostrado por aí, não acorda um dia e decide que vai infernizar a vida dos pais.

Se você quer mesmo prevenir comportamentos problema, esqueça as punições. Deixe seu medo de lado e pare de punir. Foque em três objetivos.

  1. Estabeleça laços de confiança;
  2. Estimule as habilidades sociais do seu filho;
  3. Proporcione autonomia;

Nenhum desses três tem a ver com punir, tem a ver com ensinar. E só se ensina algo no presente. Não se ensina algo no futuro. Se seu filho crescer confiando em você, tiver boas habilidades sociais, e não depender da aprovação de outras pessoas para ser quem é, ele já estará bem protegido de uma série de problemas.

Tudo bem você pensar no futuro do seu filho enquanto adolescente. Só não deixe que esse futuro aterrorize as vivências de aprendizagem que você tem com seu filho.

contato@kleitonoliveira.com.br
Facebook.com/KleitonOliveirapsi
Instagram.com/kleitonoliveirapsi

ENDEREÇO

Espaço SA | Rua Padre Caramuru, 497 | Sala 03

Centro | Cambuí/MG