Você sabe o que é a masculinidade tóxica ? E por que ela pode ser um problema quando pensamos na criação dos meninos e meninas do futuro ? Então vem comigo que nesse texto vou tentar mostrar as consequências desse modelo de masculinidade e discutir como superá-las.

Para começar vou tentar ilustrar com algumas breves histórias.

João está no trânsito com seu filho. Dia caótico, parece que todos os outros carros saíram de casa para atrapalhar. João começa então a esbravejar.

– Cretino, #@#@$@, é cego não é possível ! Olha esse outro #@$@#$@, não descobriu o acelerador ainda ! Que vontade de dar um soco !!

O filho observa tudo de forma atenta e complementa:

–  Certeza que é mulher né papai ?

Não foi a primeira vez que essa situação aconteceu. 

Consequência

Segunda historia..

Felipe e seu filho caminham pela rua. Uma mulher passa ao lado de ambos e o pai então diz:

– Faz psiu para ela filho !

O filho envergonhado não emite nenhum som. O pai indignado repete:

– Faz psiu, olha que mulher gostosa, ela vai achar bonitinho. Não seja viadinho!

O menino mesmo envergonhado sabe o poder da palavra viadinho”. Então diz o tal do “psiu”.

Consequência

Terceira historia…

Flávio se arruma para ir para o trabalho. Já tem alguns dias que mal consegue ir ao banheiro sem sentir dores ao urinar. Hoje não é diferente. A mulher ao perceber que Flávio está com dores diz para ele no momento da saída:

– Você precisa ir ao médico !

– É só uma dorzinha de nada. Homem que é homem não se importa com essas coisas. 

O filho escuta atentamente e decide então não falar da dor de cabeça que sente quando começa a ler. Afinal de contas sentir dor não é coisa de homem.

Consequência

Eu podia pensar em inúmeras outras historias para representar o quanto esse modelo de masculinidade produz consequências desastrosas no mundo, tanto para homens quanto para mulheres (ás vezes muito mais para as mulheres).

Falar de masculinidade tóxica envolve questionar o lugar que o homem ocupa na sociedade. Lugar esse que foi sendo construído nos últimos séculos, e que muito recentemente vem sendo questionado. E tudo aquilo que é questionado, normalmente gera uma reação para que as coisas continuem da mesma forma.

 

Campanha da Gillete e modelos de masculinidade

 

No mês de janeiro a Gillete fez um vídeo super interessante demonstrando como a masculinidade tóxica gera consequências no mundo. E por incrível que pareça o vídeo gerou uma enorme repercussão “negativa”.

Atualmente o vídeo já conta com 1,4 milhões de dislikes contra 700 mil likes. Com comentários assim:

” Como os melhores homens podem ser? Mais como, a pior feminista que temos”

 

Quem quiser conferir o vídeo e ver se ele possui um afronte tão grande ao “Homem” é só dar uma olhada aqui embaixo.

 

 

Afinal de contas o que é a masculinidade tóxica ?

 

Existem inúmeras definições, mas a que eu mais gosto é a de que entende a masculinidade toxica como um conjunto de práticas que limita o papel do homem a padrões estereotipados de gênero, normalmente ligados a violência, invulnerabilidade emocional e sexualidade exagerada.

E por que ela é tóxica?

É tóxica no sentido literal da palavra. Tóxico é tudo aquilo que produz algo nocivo no outro ou em mim mesmo. Masculinidade toxica então, seria tudo aquilo que faço enquanto homem para me provar como tal e para isso não me preocupo se machuco outras pessoas ou me machuco.

Já falei sobre paternidade aqui no blog, e só Deus sabe o quanto esse modelo de masculinidade vigente, influencia na desresponsabilização dos pais no cuidado com seus filhos.

Para conferir o que eu falei sobre Paternidade é só clicar aqui.

Mas como não reproduzir essa masculinidade tóxica ?

 

Sempre digo aqui no blog que nosso ambiente tem influência direta nos comportamentos que reproduzimos. Então se reproduzo comportamentos nocivos de masculinidade, provavelmente aprendi eles no contato com o meu ambiente.

Que tal então buscar ambientes que não sejam tão fortalecedores desse modelo ? Vem crescendo o número de grupos de homens dispostos a questionar a toxicidade da masculinidade. Uma pesquisa rápida no Google e esses espaços começam a aparecer.

Outra possibilidade é começar a conversar com os homens que fazem parte do seu círculo de convivência. E acima de tudo, conversar com os meninos sobre o que é ser homem, sejam filhos, sobrinhos ou netos.

Manter um auto questionamento não é nenhum problema, muito pelo contrário, é uma enorme qualidade.

Às vezes é preciso de ajuda para ser um homem melhor

 

Reconhecer que ser homem envolve inúmeros problemas é o primeiro passo para modificar a realidade. Contribuir para que os meninos do futuro sejam homens menos prejudiciais para a sociedade é uma tarefa que todos deveríamos tomar.

A masculinidade tóxica aprisiona diariamente homens e mulheres em relações desiguais, violentas e no sentido literal da palavra TÓXICAS. Se deparar enquanto pai e homem pede um exercício diário de questionamento. Se você ainda não se questionou, algo de estranho está acontecendo.

 

 

 

 

 

 

ENDEREÇO

Espaço SA | Rua Padre Caramuru, 497 | Sala 03

Centro | Cambuí/MG