Escolha uma Página

Você já pensou em ter um filho? Se pensou, como foi ? Você idealizou de alguma forma esse filho? Quais são as suas expectativas em relação a essa criança?

Em alguns momentos ser mãe/pai não passa por uma escolha. Por uma série de variáveis vocês podem se deparar com a maternidade e a paternidade batendo a porta.

Porém, tem se tornado mais comum que pessoas passem a planejar essa nova fase da vida. O que suscita uma discussão sobre o que é preciso pensar antes de se ter um filho.

No final do ano passado escrevi um post em minha página do Facebook sobre essa questão. Tendo em vista a repercussão do mesmo e as perguntas que me foram feitas, pensei em replicar o mesmo aqui no blog com algumas informações a mais para quem sabe poder contribuir com mais pessoas nesse momento de reflexão.

Dividi o texto em 5 tópicos:

  1. Casamento e filhos não estão necessariamente ligados;
  2. Crianças são uma responsabilidade por (pelo menos) 18 anos;
  3. Maternidade e Paternidade não são contos de fadas;
  4. As expectativas não condizem com a realidade;
  5. O casal quer ter um filho ?

Vamos lá ?

 

1 – Casamento e filhos não estão necessariamente ligados

 

A frase mais ouvida por todo casal é:

Agora que casou já pode pensar em filhos. 

Se não for essa provavelmente é alguma variante dela. Até parece que casamento e filhos são coisas inseparáveis.

Por muito tempo o casamento foi sinônimo de maternidade e paternidade. Culturalmente se valoriza a importância de se ter filhos após o matrimônio. O que acontece é que uma coisa não precisa estar ligada a outra. E aqui duas coisas precisam ser ditas.

Primeiramente, o casamento não é um cartão que te dá acesso ao mundo de ser pai ou mãe, ou seja, simplesmente casar não quer dizer que você está preparado (a) para ter um filho. Segundo, tudo bem querer se casar e não querer ter filhos naquele momento ou no futuro, de verdade TUDO BEM.

 

2 – Crianças são uma responsabilidade por (pelo menos) 18 anos

 

Quando começar a pensar em ter um filho ou não, tente refletir se esse filho também se encaixa nos outros planos que você tem para a sua vida. Filhos serão uma responsabilidade por um longo período de tempo.

Diferente do que se imagina de início, a maternidade/paternidade não estão relacionadas somente com os momentos bons. Pare e pense que todo comportamento emitido pelo seu filho será sua responsabilidade por muitos anos e não dá para fugir dessa responsabilidade sem consequências.

Está pronto (a) para oferecer tempo, carinho, atenção e várias outras coisas por um período de tempo considerável ?

 

3 – Maternidade e Paternidade não são contos de fadas

 

É muito comum ver pessoas romantizando a criação das crianças.

Ser pai e mãe está muito distante daquilo que os comerciais de fraldas colocam na TV. Nem tudo serão sorrisos, a sua capacidade de educar será questionada constantemente pela sociedade e por você mesmo (a).

Quando falamos das mulheres isso se intensifica ainda mais. E por que? Porque infelizmente as mulheres ainda sofrem uma carga emocional gigantesca pela ideia absurda de que toda mulher deveria ser mãe um dia, e que a maternidade é o topo da montanha que ela deve alcançar. A idealização existente em relação a maternidade precisar ser levada mais em consideração.

Postei alguns dias atrás um texto aqui no blog que discute um pouco essa diferença entre a paternidade e a maternidade. Deem uma olhadinha aqui.

 

4 – As expectativas não condizem com a realidade

 

Se tem algo que precisa ser repensado são as expectativas.

É muito comum observar pessoas planejando a vida dos possíveis futuros filhos. Antes de nascer eles já são advogados, médicos, palmeirenses, corintianos, leitores e escritores. Sinto dizer, mas provavelmente grande parte das expectativas não serão condizentes com a realidade.

Para exemplificar isso vou utilizar um exemplo que escutei certa vez em um simpósio.

Ter um filho é como se você planejasse a viagem da sua vida para um determinado lugar e após a chegada no local descobrisse que o avião te levou para um lugar completamente diferente e não existe a possibilidade de voltar.

 

5 – O CASAL quer ter um filho?

 

Eu particularmente considero esse um dos tópicos mais importantes a se pensar antes de ter um filho.

O desejo de ser mãe e de ser pai parte de ambas as partes ?

Digo o casal porque essa escolha precisa ser feita a DOIS. Ambos precisam concordar com essa ideia. É necessário diálogo, reflexão e acima de tudo muita aceitação caso a decisão de uma das partes seja contrária num primeiro momento. Conhecer o seu parceiro (a) também é parte importante no processo de escolha sobre ter ou não filhos.

 

Para finalizar queria destacar que talvez você não tenha tempo para fazer essa reflexão. Mas caso você tenha, dê uma importância a essa escolha, ela ditará o seu futuro e o de um novo ser. São reflexões como essa que favorecem para um mundo mais fácil de se viver para as crianças.

Espero que o texto sirva de reflexão para vocês. Aguardo comentários.

 

 

 

ENDEREÇO

Galeria La Caja | Praça Cel. Justiniano, 71 | Piso Superior

Centro | Cambuí/MG