Alguém sabe qual é o grande acontecimento de fevereiro? Não, não é o carnaval. Vai me dizer que ainda não te contaram que seu filho está voltando às aulas.

Embora você provavelmente esteja feliz com essa volta, e com razão. As crianças podem estar experimentando um pouco da ansiedade de voltar para a escola.

Como foi o ano anterior para o seu filho ? Como ele terminou? Ele teve dificuldade para passar? Teve algum problema com os colegas? ou com os professores?

Fazer essas perguntas é importante para saber como ele está lidando com o fim das férias.

Todos nós fomos alunos um dia. Férias é sinônimo de tranquilidade para a maioria das crianças. Podemos dormir e acordar em horários muito mais atrativos. Temos pouquíssimas tarefas e nenhuma delas envolve uma nota no final. Férias é sinônimo de “liberdade” para a maioria das crianças.

Muito por conta dessa vastidão de reforçadores, algumas crianças não sentem lá muita vontade de voltar para a rotina escolar.

Pensando nisso, elaborei aqui 5 coisas que os pais podem fazer para ajudar seus filhos na volta às aulas.

  • Escola x casa;
  • Autonomia;
  • Mudança de rotina;
  • E se a escola for nova?;
  • Conversando com o seu filho;

Vamos lá?

1 – Escola x Casa

“Acabou-se a mamata”

Quando ainda estudava, sempre que acabava o período das férias minha mãe me dizia essa frase. Lembro que sentia muita raiva de ter que voltar para a escola cada vez que ouvia isso. E por que?

Porque sentia que a escola novamente estava invadindo minha vida. Acabando com a minha felicidade de poder jogar futebol, ficar na rua com os amigos, dormir na casa dos primos, etc. Durante grande parte da minha vida escutei que ficar em casa era sinônimo de tranquilidade e ir para a escola sinônimo de ansiedade.

Isso quer dizer que eu detestava a escola? Não.

Mas tinha a impressão que sim.

Eu também me divertia na escola. Encontrava amigos que não via nas férias, fazia coisas diferentes por mais que a rotina escolar seja essa coisa engessada que ainda é hoje. Ou seja, a escola também me trazia certa felicidade.

Mas sempre que minha mãe dizia no final das férias que “acabou a mamata” eu me sentia mal e eliminava qualquer aspecto positivo da escola.

Ficam aqui algumas frases para não se dizer para as crianças.

“Você vai ver quando acabar as férias”

“Aproveita mesmo, porque quando acabar as férias …”

“Tá achando que na escola vai ser assim?”

O que essas frases tem em comum?

Todas elas dizem para a criança que uma realidade muito pior vem pela frente. Quando seu filho não demonstrar nenhuma motivação pelas tarefas escolares lembre-se destas frases.

Agora se esse tópico não faz sentido pra você, traga para a sua realidade. Como você se sente quando chega ao fim as suas tão esperadas férias do trabalho?

2 – Autonomia

Tá, já sabemos que na maioria das vezes voltar para a escola não é uma experiência muito apreciada. Mas é um ótimo momento de promover a autonomia das crianças.

Quem arruma o material da criança? Se ela leva um lanche, quem o prepara? Se ela tem uma rotina de estudos, ela participa dessa elaboração?

É muito comum ver pais tomando para si estas atividades, acreditando que essas sejam suas responsabilidades. Mas quem disse que a criança não pode realizar essas atividades. Obviamente o pai deve supervisionar. Supervisionar e não fazer por ela, certo ?

Embora algumas possam reclamar de início (talvez porque nunca tiveram essa oportunidade e a veem como uma tarefa a mais), perceberão que essa autonomia de poder ter controle sobre suas próprias coisas é bastante proveitosa e pode ser mais um momento de contato entre pais e filhos.

Comece com pequenas coisas, como arrumar a própria mochila ou fazer o seu próprio lanche, e vá dando maior autonomia com o decorrer do tempo.

Lembre-se, fazer tudo para a criança embora pareça bom, não é a melhor opção.

Você é uma mãe superprotetora ?

3 – Mudança de Rotina

Teoricamente esta parte deveria ter aparecido lá em dezembro. Por que digo isso? Porque alterar a rotina da criança de uma forma muito drástica, como mudanças de horário de sono, eliminação de atividades do dia a dia, entre outras coisas, pode virar um problema para quando ela precisar voltar a emitir os comportamentos que emitia antes das férias.

Embora durante as férias a criança pode e deve ter maior liberdade para aproveitar esse descanso, é importante que sua rotina não seja tão modificada. Encontrar um equilíbrio entre as horas de sono é extremamente necessário. Nosso relógio biológico pode ser um grande rival.

Mas e se essa rotina já virou uma bagunça ?

Comece de forma lenta a modificar algumas coisas. Nos primeiros dias é natural que a criança sinta mais sono caso estude no período da manhã. Então evite punições por ter dificuldade de acordar.

Também é esperado que seu filho não se sinta muito motivado a ter que fazer lições e deveres de casa. Há menos de uma semana isso já tinha deixado de existir. Aos poucos e com o auxílio dos pais a inserirem isso na rotina da criança, ela terá mais facilidade para fazer as atividades sem a tão famosa preguiça.

Um exercício interessante para realizar em conjunto com a criança, é estabelecer com ela um quadro para sua nova rotina. Digo em conjunto para que ela se sinta participante desse processo e que essa rotina também vá de encontro com aquilo que ela espera.

4 – E se a escola for nova?

Existe a possibilidade de que seu filho volte das férias diretamente para uma nova escola. Só esse tópico valia um novo artigo, mas tentarei trazer algumas possibilidades para que essa nova experiência seja menos difícil do que é.

Entrar em uma nova escola não é fácil, não para a maioria das crianças. É um novo ambiente, outras crianças, outros professores, outros funcionários, talvez um novo método. Então, elabore algumas estratégias para lidar com uma possível ansiedade para esse novo encontro do seu filho.

Algumas delas são:

  • Leve o até a nova escola para conhecer o ambiente antes de começar a ir as aulas;
  • Estimule experiências com os novos colegas, sempre respeitando os limites do seu filho;
  • Observe como ele está se comportando nos primeiros dias. Demonstra estar desmotivado? Relata estar triste?
  • Tente mostrar pontos positivos da nova escola, e não desvalorize as críticas que ele venha a fazer;

Todos sabemos o quanto um novo ambiente pode ser difícil. Às vezes não sabemos como reagir em determinadas situações. Então não puna seu filho caso ele tenha dificuldades com a nova escola, essa experiência já é difícil por si só.

5 – Conversando com o seu filho

Tudo que listei acima tem que ser conversado com a criança. Parece bobo, mas pergunte a si mesmo sobre o quanto você conversa com seu filho.

Aproveite esse início de volta às aulas para conversar com ele sobre essa experiência. Escolha bem os momentos para ter essa conversa, não seja punitivo caso ele venha a reclamar. A importância de uma escuta é muitas vezes subestimada pelos pais. Às vezes nesse momento é melhor escutar do que só falar.

Conversando com ele sobre suas expectativas e receios, provavelmente ele se sentirá mais tranquilo.

Não sei como foi a sua experiência escolar. Caso ela tenha sido permeada por algumas dificuldades, você gostaria de ter tido alguém para te escutar?  Ou se teve, o quanto isso facilitou a vivência escolar?

Espero que tenham aproveitado esse artigo. Qualquer dúvida é só mandar uma mensagem.

contato@kleitonoliveira.com.br
Facebook.com/KleitonOliveirapsi
Instagram.com/kleitonoliveirapsi

ENDEREÇO

Espaço SA | Rua Padre Caramuru, 497 | Sala 03

Centro | Cambuí/MG